quarta-feira, 20 de julho de 2011

O Pássaro, a Gaiola e o Céu



O pássaro preso na gaiola olhava
o céu e ansiava por ele voar.
Porém não podia, pois preso estava.
As grades queriam seu sonho roubar

E a todas as outras aves invejava
quando nos ares se punham a cantar
tão bela canção que nos céus ecoava,
por que eram livres podiam voar.

Por dias e dias em vão lamentava
sorte tão maldita que lhe ousava negar
fazer aquilo que mais desejava,
de nos altos céus livre voar.

Um dia acordou e não acreditava,
A porta estava aberta podia voar.
Mas por não saber o que lhe esperava
O medo o impedira então de escapar

Recusando o convite dos céus que o chamava
a esquecer os dias de dor e pesar,
preferiu aquilo a que já se acostumava,
e perdeu sua chance de livre voar.

Um comentário:

Ana Claudia disse...

Oi, Sou professora e vou apresentar seu poema aos meus alunos de quinto ano (eles tem 10 anos). Parabéns!! Gostei muito!!
Um abraço,

Ana Claudia Zeszotko

Minha foto
Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e e ví cair em minha frente castelos. Como un anjo voei ao céu mas longínquo, e como um cometa caí. A queda de machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas humano.