segunda-feira, 15 de maio de 2017

Senda dos Infortúnios



Os meus pés doem do caminho,
os meus braços não consigo levantar.
Mesmo quando acompanhado estou sozinho
e assim continuo a caminhar.
Ilusões o deserto me oferece.
Só miragens que não posso alcançar.
Se estendo as minhas mãos, a nada toco,
mesmo assim continuo a caminhar.
A estrada se estende a minha frente,
até onde eu consigo observar.
E já não importa a dor que o peito sente.
Importante é o contínuo caminhar.
Por veredas tortuosas e inseguras.
Por abismos e perigos d’além mar.
Dia e noite sofrendo tais agruras,
noite e dia prosseguindo em caminhar.
De onde e quando eu parti, já me esqueço.
Não interessa se terei onde chegar.
De nada valem dia ou noite, fim, começo.
Só importa que eu continue a caminhar...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O Que Queremos

A gente não quer esmola,
Só queremos aquilo que é nosso.
Os direitos por nós conquistados,
Frutos de intensas batalhas,
De lutas contra os poderosos,
Nosso sangue no chão derramado.

Não se cala milhares de vozes,
Que em rebelião se levanta
Contra nossos algozes.
Que por nós foram empoderados,
E buscam os seus interesses
Com ganância e afinco atrozes.

Tentam roubar nossa esperança
E quebrar o nosso coração.
Apagando de nossa lembrança
Qual e ó nosso quinhão.
Nos tomam nossa dignidade,
Da saúde fazem um produto
O mesmo com a educação.
Àquele que luta o que ganha? As grades.
E aquele que cala, a cruel servidão.

Não, não queremos esmolas,
Só aquilo que é de direito.
Justiça, paz e equidade.
Esperança e também liberdade

E acima de tudo, o Respeito.
Minha foto
Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e e ví cair em minha frente castelos. Como un anjo voei ao céu mas longínquo, e como um cometa caí. A queda de machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas humano.