domingo, 10 de julho de 2011

Lembrança


Agora as palavras me fogem,
já não sei o que escrever.
Estou sozinho em meu quarto,
e tudo me lembra você. 

Em minha frente o velho caderno,
seus poemas começo a ler.
E a cada verso que leio,
todos me lembram você. 

Por trás de cada linha,
quem olhar poderá entender
que conto em meus versos histórias,
e todas me lembram você.

Enfim fecho o caderno,
tentando a todo custo esquecer,
contudo vivo um inferno,
pois tudo me lembra você.

3 comentários:

guímel disse...

Querido Arcanjo!

Certos fantasmas insistem em ficar nas entrelinhas ou atrás das linhas.
Mas aos poucos vão esvaindo...
Não há lugar para eles, somente nas escritas.

Lindo como todos que escreve.

Beijos

Palavras!! disse...

Sem comentários... esta cada vez melhor!! abraço de sua Fã...

Arcanjo disse...

Guímel a melhor forma de exorcizálos e jogando-os pra fora através das palavras, essa é a maio de nossas armas, sua gentileza me toca como sempre, obrigado minha Estrela de luz Lilás...

F.G. Fico linsongeado que uma pessoa de quiem admiro a escrita se entitule minha fã, com certeza a recírpoca é verdadeira, saudades dos nossos papo, não some... Beijos em seu coração...

Minha foto
Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e e ví cair em minha frente castelos. Como un anjo voei ao céu mas longínquo, e como um cometa caí. A queda de machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas humano.