terça-feira, 30 de agosto de 2011

O Monstro do Abismo


À beira do abismo parado
vejo surgir um espectro
aos poucos o vejo subir.

Maldade existe em seus olhos,
e enquanto ele me encara,
seus lábios parecem sorrir

O medo de mim toma conta,
meu sangue nas veias gela,
meu corpo começa a tremer.

Suas mãos pra mim se estendem,
parecem querer me agarrar
me sinto então desfalecer.

Quando sua boca se abre,
uma voz tão fria e medonha
no silêncio eu posso ouvir.

“Não entendo por que lutas tanto,
quando melhor é se entregar
contra mim não podes resistir.

Se me aceitas serás então livre,
nunca mais dor e sofrimento
ninguém mais irá lhe machucar.

Não precisas mais deste tormento,
simplesmente me dê sua mão
e veja sua vida mudar.

Terás sempre o que quiser,
se importar com o outro pra quê?
Sendo assim você se machucou

Quantas vezes eu te vi sofrer?
Pois aquele a quem deste a mão
Foi o mesmo que te magoou.”

Enquanto ele falava eu tremi,
e quase com ele eu fui
quando a sua mão se estendeu.

No entanto a tempo percebi,
e parei quando então eu vi
que o monstro do abismo sou Eu.

4 comentários:

guímel disse...

Querido Arcanjo!

Quando nossa criança é machucada, ela age com medo na vida adulta e rotulamos como monstros ou sombras.
Do momento que descobrimos que faz parte do nosso Eu Interior, tudo clareia como uma chuva de Luz...

Lindo!

Beijos

Palavras!! disse...

" Ver a si mesmo é sempre um grande passo... e nunca sabemos se a uma ponte invisível para nos sustentar sobre o abismo ..ou se apenas iremos cair sem tempo determinado de chegar ao fim... "

Adorei...Sr Monstro**

Abraço

Arcanjo disse...

Obrigado por suas palavras de carinho minha estrela de luz azul... Bjos

Arcanjo disse...

Minha linda Dama, você sempre abrilhanta meu espaço quando vem aqui... bjos.

Minha foto
Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e e ví cair em minha frente castelos. Como un anjo voei ao céu mas longínquo, e como um cometa caí. A queda de machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas humano.