sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

(Des)Caminhos e Encontros


Por vários caminhos errantes entrei,
tentando assim em vão me encontrar.
E em todas estradas por onde andei,
sempre despertei co’ a luz do seu olhar.

                                     
Me vejo agora em teus olhos e morro.
Dia-após-dia em ti me condeno.
Desejando o calor do teu corpo eu peno.
Calado e aflito eu grito por socorro.

Há tempos eu sei que perdi minha vida.
Decidi me entregar a ti por completo.
de medo abundante e de sonhos repleto
minha’ lma emtão ficou dividida.

Muito tempo passei andando sozinho,
e agora estou a sua mercê.
E já não importa qual seja o camninho,
pois todas estradas me levam a você.               





2 comentários:

guímel disse...

Querido Arcanjo!

Maravilhosa poesia... fiquei vivenciando cada passo no compasso das palavras.
Quando estamos com alguém na mente e no coração, todos os caminhos levam ao (des)encontro...
Muito complicado a dor... poderia ser só Amor, mas tudo é aprendizado!

Bjsss

Palavras!! disse...

" Há tempos eu sei que perdi minha vida.Decidi me entregar a ti por completo.(...)

Entrega.Amor. Dor..aprendizado e poesia a pessoas como nós...
( Amei o novo Layaut...Parabens!)

Minha foto
Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e e ví cair em minha frente castelos. Como un anjo voei ao céu mas longínquo, e como um cometa caí. A queda de machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas humano.