terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Retrato (Inspirado no Poema Ao Luar nº 35)

Adicionar legenda
















És Lua e Sol.
Peixe, isca e anzol,
do acorde és as notas,
e da melodia a Canção.










És Fogo e Água.
Na Natureza o Quinto Elemento,
faz soprar sua brandura com a Brisa,
faz sentir sua fúria no Vento.









És Esperança e Saudade.
Tens em ti o calor do vulcão,
e também a calma do Rio,
que flui rumo a Eternidade.












És Pureza e Desejo.
És mulher, Deusa e menina.
Tens no corpo o calor da Paixão,
e no rosto um olhar que fascina.















És Alívio e Dor.
És a Fada, a Bruxa e a Ninfa nua.
És simplesmente indefinível
trazendo consigo as fases da Lua.

6 comentários:

Dois Rios disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dois Rios disse...

Absolutamente lindo, Arcanjo!

Plenitude. Fascinação. Completude. Paixão.

Palavras que definem com precisão cada verso seu.

Beijo,
Inês

Arcanjo disse...

Obrigado Inês, é sempre um prazer ter você aqui em meu mundo... Bjos Anjelicais...

guímel disse...

Meu querido Arcanjo!

Transportei-me através dos seus versos e senti a sublimação.
Trabalhou com os quatro elementos dentro da energia lunar e o quinto com a divindade na forma feminina (deusa).
Papus disse: "O que eu não sou? A Natureza.
Por que Deus já está em mim! E, o que não sou é a expressão dele a Natureza.
Lindo!

Bjsss

Palavras!! disse...

Oras ..venho humildimente...so agradecer...a ti pois um velho farrapo de um auto retrato ja muito esquecido...fez nascer tão belas palavras vistas acima...rs ...parabéns nobre Arcanjo..esta é uma poesia belissíma...e mesmo que um pouquinho...me atrevo me sentir parte de suas belas palvras!!Grta pelo privilegio....Nobre Equilibrista!!

Arcanjo disse...

Minha Bela Dama você é mais do que parte, você foi a matéria prima usada pra compor esses pobres versos. Que bom que você gostou de meus pobres versos... Beijos Angelicais...

Minha foto
Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e e ví cair em minha frente castelos. Como un anjo voei ao céu mas longínquo, e como um cometa caí. A queda de machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas humano.