quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Desejo II

De que me adianta tanto desejo?
Se o que mais quero não posso alcançar.
Tocar o seu corpo, e sentir os seus beijos,
e dos seus amores me embriagar.
Se não me entender, não me recrimine,
e por favor me deixe sangrar.
Quem sabe um dia a vida me ensine,
um jeito menos louco de amar.
Eu sou o que sou, e não me envergonho
de sentir como sinto, sempre querer mais.
Voando bem alto em busca de um sonho,
em meio ao Caos, buscando minha paz.
E se minha paz se encontra em Você,
em ti também há toda minha tortura.
Pois já não resisto tamanha loucura,
que é desejar o que não posso ter.

3 comentários:

Palavras!! disse...

Arcanjo...você se superou! Achei a minha poesia preferida ...nas que você ate hj escreveu...é linda..forte..e com muita vida e sentimentos..
É um privilegio...desfrutar de seu talento..Obrigada.

Arcanjo disse...

Obrigado, minha nobre dama, você como sempre muit o gentil comigo... bjos e fica na paz.

guímel disse...

Meu querido Arcanjo!

"O meu corpo é um jardim, a minha vontade seu jardineiro". Willian Sheakespeare.
Sempre o inusitado acontece...
Divinamente lindo!
Bjsss

Minha foto
Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e e ví cair em minha frente castelos. Como un anjo voei ao céu mas longínquo, e como um cometa caí. A queda de machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas humano.