quarta-feira, 23 de junho de 2010

Orfeu e Eurídice


Em sua lira Orfeu só pra ela cantava,
Pra ela e por ela cada nota tocada.
Com suas belas canções assim expressava
seu Amor por Eurídice, sua bela Amada.

Os dias tão felizes e as noites sem fim,
o Amor os guiava até a felicidade.
E a cada momento passado assim,
juravam Paixão pela eternidade.

Porém o Destino esse deus tão cruel,
que com nossos sonhos nunca se importa,
faz Orfeu sentir-se jogado ao léu,
ao ver sua bela Eurídice morta.

Orfeu vê então mudar sua Sorte,
e acabar derrepente um amor que era eterno.
Decidido resolve enfrentar a Morte,
Pra trazer sua Amada de volta do Inferno.

Com suas belas canções a todos comoveu,
e no mundo dos mortos assim penetrou.
Até ao próprio Hades ele convenceu
a entregar-he de volta a quem tanto amou.

"Leve-a contigo e de meu Reino saia,
contudo não deves olhar para trás.
Pois caso a sua palavra traia,
sua bela Eurídice não verás mais".

Orfeu então conseguira seu intento,
já os raios do Sol ele avistava
E olhando pra trás só ouvira o Lamento,
de uma Sombra Triste que dele se afastava.

3 comentários:

guímel disse...

Que amor!!!
E triste, mas carregado de subjetividade...
Lindo!

Bjsss

Helder Colombini disse...

lindo demais. ficou excelente

vania sayed disse...

Ahhh Orfeu sem Eurídice coisa incompreensível

Minha foto
Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e e ví cair em minha frente castelos. Como un anjo voei ao céu mas longínquo, e como um cometa caí. A queda de machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas humano.